Siga por e-mail

sábado, 26 de março de 2016

Cristo é a Páscoa!

“...e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação. (Apocalipse 7:10 ARA)

Dá pra imaginar alguém casado apenas com a aliança mas sem esposa? Após a cerimônia ficou com a aliança e a levou para casa. Trata muito bem. Dá polimento constante e conversa com a aliança. Tem orgulho da aliança, exibe para todo mundo. Mas esqueceu a noiva no altar ou a deixou em algum lugar qualquer.

Ridículo? Tolo? Impossível?

Neste domingo de Páscoa, na Igreja em Salvador, teremos o privilégio de ter na igreja um café que costumamos fazer juntos para, ao final, celebrarmos a ceia do Senhor.

A ceia foi estabelecida por Jesus na preparação para o sábado pascal. Foi naquela noite antes do dia de Páscoa que Jesus estabeleceu um memorial simples e profundamente significativo de sua iminente morte e ressurreição. Você pode ler sobre isto em Mateus 26.26-30, Marcos 14.22-26, Lucas 22.19-24, João, capítulos 13 a 17, 1Coríntios 11.23-26, além de outros.

Para nós, cristãos, a ceia é a Páscoa simplificada e trazida para o dia a dia da vida. É na ceia que declaramos nossa fé em Cristo como o “cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1.29) e que “morreu por todos para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou” (2Coríntios 5.15).

Na Páscoa Jesus assume ser o cordeiro e nos dá de si mesmo para sermos libertos da escravidão e da morte e entrarmos na jornada de libertação e vida e nos deixa a ceia como um legado de memorial, trazendo a Páscoa para qualquer momento, enfatizando a comunhão do seu corpo e sangue como caminho redentor.

Entretanto, embora a Páscoa seja o memorial da libertação da escravidão do Egito e a ceia seja o memorial da comunhão, não são as datas e cerimônias que nos libertam e guiam pelo caminho da plenitude com Deus.

Memoriais são úteis quando nos mantem em comunhão com a pessoa que nos liberta e conduz. De outro modo, passam a ser simplesmente cerimônias estéreis e destituídas de seu verdadeiro significado.

A Páscoa no mundo é como uma aliança sem esposa ou marido. É apenas mais um feriado e oportunidade comercial. Ovos de chocolate e tantos outros atrativos apenas servem para tirar o foco de Jesus e tentar apagar a luz do seu sacrifício por nós.

Jesus, sim, é a Páscoa (passagem para uma nova vida) e é com ele que a Páscoa, e a ceia, têm sentido.

Não perca Jesus de vista.

Feliz Páscoa!

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Mensagem para os Pastores da IMUB para 2016.

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”. (João 15:5 ARA)

Querido irmão, amigo, colega e pastor da IMUB

Quero desafiar você a renovar sua paixão, dedicação e amor ao Senhor do ministério em 2016. Quero desejar muito fruto para você neste novo ano.

Para isto, em primeiro lugar, devemos “permanecer” no Senhor. E não é possível permanecer se estivermos afastados, tão envolvidos com as atividades e necessidades do povo que não nos sobre tempo para estar no “conselho de Deus”.

Até mesmo o ministério pode afastar você do Senhor. Podemos nos tornar excelentes profissionais na igreja, e ainda assim nos afastarmos da fonte de seiva.

Ou podemos simplesmente nos acomodar depois de encontrar um certo conforto. Após muitas lutas enfrentadas, podemos nos conformar com o que já alcançamos e não almejar muito mais, e não produzirmos mais frutos.

Por outro lado, podemos até correr de um lado para outro ouvindo os “mestres” e buscando o segredo daqueles que julgamos bem-sucedidos, e ainda assim não produzir frutos.

Há mesmo alguns que alcançaram êxito que se tornaram modelos ministeriais. De alguns destes devemos aprender, de outros, devemos fugir. Mas mesmo que estejamos aprendendo dos bons, os modelos e estratégias que aprendermos só funcionarão se permanecermos essencialmente no Senhor.

2016 será espetacular e trará muito fruto para o Senhor através da sua vida e ministério se você estiver mais chegado a Ele.

Portanto, desafio você a buscar mais o Senhor em 2016. “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça...” (Hebreus 4.16). Ore mais, leia mais, medite mais nas Escrituras, separe mais tempo para orar com sua esposa e filhos, jejue e clame por um avivamento. Em seu próprio coração em primeiro lugar e, depois, na igreja. Arrependa-se mais, obedeça mais, seja mais fiel ao seu chamado e ministério.

Vivemos tempos difíceis, mas o Senhor é mestre em fazer deserto florescer e multiplicar azeite, peixe e pão. A dificuldade e a crise são uma oportunidade tremenda de produzir muito fruto. “Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto...

Minha oração neste momento por você é esta: que você esteja ligado, arraigado, aprofundado na videira, e que Jesus seja a sua motivação, e o seu guia, e que a glória dele seja o seu supremo propósito no decorrer deste novo ano.

Um frutífero 2016 para você.


Ano Novo... A importância de começar e continuar...

“O que foi tornará a ser, o que foi feito se fará novamente; não há nada novo debaixo do sol”. (Eclesiastes 1:9 NVI)

É bom avaliar o que passou e fazer propósitos para o amanhã. Entretanto não basta desejar que coisas novas e boas aconteçam. É preciso semear o bem,pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6.7). É preciso orar, planejar, e orar e trabalhar para que as coisas aconteçam.

2016 não será diferente se não fizermos nada diferente do que fazemos.

Eu fiz dois propósitos pessoais para 2015 e não alcancei nenhum. Entretanto, estou no caminho... já estou mais perto do que estava antes, porque caminhei na direção de alcançar. E sei que o que importa para o amanhã será resultado do que comecei ontem.

Quando você apenas deseja ou sonha com algo, mas não semeia nem trabalha para que se realize o que sonha, dificilmente alcançará o que quer.

Você poderia até dizer que José sonhou e não fez nada para que acontecesse o que aconteceu. Que tudo foi Deus que providenciou. É verdade que Deus trabalhou por ele. Mas ele também trabalhou em harmonia com Deus. Se José não tivesse tomado as posições certas em cada oportunidade e se não fosse fiel e confiante, não teria obtido o êxito que obteve. José andou alinhado com a vontade de Deus e, por isso, alcançou o propósito de Deus. A história está no Gênesis, capítulos 37 a 50.

Às vezes desejamos que o ano novo seja diferente do que passou, mas tudo será uma continuidade. Se você estiver indo para o Sul, nunca espere chegar ao Norte por acaso.

Para que o ano novo seja diferente, precisamos estar num processo, numa rota que produzirá diferença.

Todos querem prosperidade, mas poucos trabalham para isto por meio de disciplina e sacrifícios. A grande maioria confia no acaso e na sorte. Por isso tanta gente joga na loteria, na ilusão de que tudo ficará melhor sem esforço e disciplina. E muitos jogam tanto que, se pusessem o dinheiro numa poupança sistematicamente, no final teriam um bom valor acumulado para compor a aposentadoria. Mas jogam o dinheiro fora na tola esperança de enriquecer sem trabalho e sem se privar dos prazeres imediatos.

Este tipo de novo não existe. Se você quer ser doutor, precisa primeiro passar no vestibular ou no ENEM. Nunca poderá chegar no destino sem andar na estrada.

Assim, o que há de novo é o que se faz novo pelos antigos caminhos.

A vida é cheia de surpresas, podemos nem estar vivos no final de 2016. Isto pertence a Deus. Mas nada será novo para você se você não começar a caminhar para chegar.


Que você trabalhe na direção certa, e que 2016 seja abençoado por Deus pra você!